top of page
  • Foto do escritorRafael Torres

Top 10 Maiores Orquestras dos Estados Unidos

Atualizado: 2 de ago. de 2022

Quando eu era pequeno, ouvia falar, boquiaberto, de 2.000 Orquestras Sinfônicas profissionais no Estados Unidos. Certamente, depois de países da Europa, é o país que mais preserva uma cultura de divulgação e apreciação de música de concerto (além de ópera).


Nos anos 50 existiam as "Big Five", as cinco grandes orquestras americanas. As cinco estarão no seguinte rol, porque mantiveram sua qualidade (às vezes com muita dificuldade) embora o aplelido tenha caído em desuso. Outras orquestras foram surgindo e o padrão foi aumentando. As "Big Five" eram:

  • Orquestra Sinfônica de Boston

  • Orquestra Filarmônica de Nova Iorque

  • Orquestra de Filadélfia

  • Orquestra de Cleveland

  • Orquestra Sinfônica de Chicago

Pois vamos lá. As 10 maiores orquestras dos EUA.



10. Orquestra Sinfônica de Atlanta


Uma orquestra bem jovem, fundada em 1945, mas que tem atraído muitos elogios. Tem o seu próprio Atlanta Symphony Hall, no Woodruff Arts Center. Com apenas 5 regentes titulares na sua história, contratou recentemente a contralto e regente francesa Nathalie Stutzmann, uma das primeiras mulheres a ocupar o cargo de regente principal em uma grande orquestra americana (ela deve assumir em setembro de 2022).


Gravações recomendadas -


- Ralph Vaughan Williams - Sinfonia Nº 5, Fantasia Tallis etc., regidos por Robert Spano;


- Harold Schoenberg - Noite Transfigurada e Pelleas und Melisande, regidos por Yoel Levi.


 

09. Orquestra Sinfônica de San Francisco


Tendo sido regida por Pierre Monteux (entre 1935–1952) e Josef Krips (entre 1963–1970) e Seiji Ozawa (entre 1970–1977), atingiu status de grande orquestra desde muito cedo. Mas foi durante a passagem do holandês Edo de Waart (1977–1985) que a orquestra californiana conseguiu contratos de gravação e se tornou um conjunto realmente consagrado. Com Michael Tilson-Thomas, que a regeu de 1995 a 2020 (!), a orquestra teve ainda mais avanços. Tilson-Thomas tem um repertório eclético e variado, fazendo da Sinfônica de San Franciso uma das mais populares e carismáticas daquele país.


Desde 2020, seu diretor artístico é Esa-Pekka Salonen, um talentoso finlandês que já trabalhou com a Filarmônica de Los Angeles.


Sua sala de concertos principal é a Louise M. Davies Symphony Hall.


Gravações recomendadas -


- Sergei Rachmaninoff - Os 4 Concertos para Piano, regidos por Edo de Waart, com Zoltán Kocsis ao piano;


- Richard Strauss - Sinfonia Alpina, regida por Herbert Blomstedt.


 

08. Orquestra Sinfônica Nacional


Baseada na capital Washington D. C., já foi regida por Antal Doráti (1970-1977), Mstislav Rostropovich (1977-1994), Leonard Slatkin (1996-2008), Iván Fischer (2008-2010), Christoph Eschebach (2010-2017) e, atualmente, por Gianandrea Noseda (desde 2017). Com um rol de regentes de tamanha categoria, a Sinfônica oficial dos EUA mantém uma reputação altíssima, com um padrão que nunca cai.


Foi fundada em 1930, e sua principal sala de concertos é o John F. Kennedy Center for the Performing Arts.


Gravações recomendadas -


- Antonín Dvořák - Sinfonia Nº 9 "Do Novo Mundo", regida por Gianandrea Noseda;


- Dmitri Shostakovich - Sinfonia Nº 5, regida por Mstislav Rostropovich.



 

07. Orquestra de Minnesota


Essa orquestra, baseada em Minneapolis, no estado de Minnesota (seu nome era Minneapolis Symphony Orchestra, de quando foi fundada, em 1903 até 1968), foi alçada a um nível invejável graças, em grande parte, ao lendário regente Antal Doráti, que a regeu entre 1949 e 1960.


Viveu momentos importantes também com Stanislaw Skrowaczewski (1960-1979), Eiji Oue (1995-2002) e Osmo Vänskä (2003-2022). Seu póximo regente titular será Thomas Søndergård (a partir de 2023).


Sua sala de concertos é a Minneapolis's Orchestra Hall.


Gravações recomendadas -


- Sergei Rachmaninoff - Danças Sinfônicas, 5 Études-Tableaux Orquestrados por Ottorino Respighi e Vocalise, regidos por Eiji Oue;


- Igor Stravinsky - Suíte "O Pássaro de Fogo", Le Chant du Roussignol e A Sagração da Primavera, regidos por Eiji Oue.


 

06. Orquestra Sinfônica de Pittsburgh



Uma orquestra antiga, mas que vem fazendo turnês internacionais e ganhando destaque desde mais recentemente, Pittsburgh teve regentes de destaque, como William Steinberg (1952-1976), André Previn (1976-1984), Lorin Maazel (1984-1996), Mariss Jansons (1996-2004) e o trio Marek Janowski, Andrew Davis e Yan Pascal Tortelier (entra 2005 e 2008). Seu atual regente é o talentosíssimo Manfred Honeck, desde 2008.


Com essa lista de regentes de altíssima qualidade, a orquestra atingiu um nível de refinamento ímpar, sendo versátil e de sonoridade singular. Toca na Sala Heinz.


Gravações recomendadas -


- Johannes Brahms - Sinfonia Nº 4, regida por Manfred Honeck;


- Antonín Dvořák - Sinfonia Nº 8 e Leoš Janáček, Suíte Sinfônica de Jenůfa, regidas por Manfred Honeck;


 

05. Orquestra Filarmônica de Nova Iorque


Orquestra também muito antiga (fundada em 1842), esteve durante muito tempo associada ao regente Leonard Bernstein, que a regeu entre 1958 e 1969 e fez tantas gravações quanto era possível fazer nesse período.


Antes dele, a regeram ninguém menos que Gustav Mahler (1909-1911), Willem Mengelberg (1922-1930), Arturo Toscanini (1928-1936), John Barbirolli (1936-1941), Bruno Walter (1947-1949, como consultor musical) e Dimitri Mitropoulos (1949–1958) - este último, um regente grego de enorme talento e renome quase lendário, que tinha memória fotográfica e dotes musicais de sobra. Morreu ensaiando a 3ª Sinfonia de Mahler, em Milão.


Os que o sucederam também foram importantes, a começar por Pierre Boulez (1971-1977). Depois, tivemos Zubin Mehta (1978-1991), Kurt Masur (1991-2002), Lorin Maazel (2002-2009) e Alan Gilbert (2009-2017). Seu atual regente principal é Jaap van Sweden, desde 2018.


Sua sala de concertos principal é o David Geffen Hall, no Lincoln Center for the Performing Arts. Até 1962 era o famosíssimo Carnegie Hall.


Gravações recomendadas -


- Sergei Rachmaninoff - Sinfonia Nº 2, Vocalise e Danças Sinfônicas, regidas por Dimitri Mitropoulos;


- Maurice Ravel - Daphnis et Chloé (Balé Completo) e La Valse, regidos por Leonard Bernstein;


 

04. Orquestra de Filadélfia


Fundada em 1900, a Orquestra de Filadélfia já foi a mais famosa dos EUA, chegando a gravar o filme Fantasia (1940) de Walt Disney com o maestro Leopold Stokowski.


Para uma orquestra tão longeva, o número de regentes titulares é pequeno, o que confere unidade ao som do grupo. Depois de Stokowski (1912-1938), tivemos o longo mandato de Eugene Ormandy (1936-1980). Depois, assumiram Riccardo Muti (1980-1992), Wolfgang Sawallisch (1993-2003), Christoph Eschenbach (2003-2008), Charles Dutoit (2008-2012) e Yannick Nézet-Séguin (a partir de 2012).


Sua casa de concertos é o Verizon Hall, no Kimmel Center for the Performing Arts.


Gravações recomendadas -


- Pjotr Tchaikovsky - Sinfonia Nº 6 "Pathétique", regida por Eugene Ormandy;


- Igor Stravinsky - A Sagração da Primavera e Bach - Transcrições de Stokowski, regidos por Yannick Nézet-Séguin.


 

03. Orquestra Sinfônica de Boston


Fundada em 1881, a Sinfônica de Boston tem a fama de ser a melhor orquestra francesa do mundo. Mesmo incluindo as da frança, que não têm o refinamento dessa aqui.


Seus regentes mais conhecidos foram Pierre Monteux (1919-1924), Serge Koussevitzky (1924-1949), Charles Munch (1949-1962), Erich Leinsdorf (1962-1969), William Steinberg (1969-1972), Seiji Ozawa (1973-2002) e James Levine (2004-2011).


Hoje é regida pelo letão Andris Nelsons e toca no Boston's Symphony Hall.


Gravações recomendadas -


- Johannes Brahms - Sinfonia Nº 2, regida por Seiji Ozawa;


- Sergei Rachmaninoff - Concertos para Piano Nº 1 e Nº 2, regidos por Seiji Ozawa, com Krystian Zimerman ao piano.



 

02. Orquestra de Cleveland



Já foi considerada o "instrumento mais afiado dos Estados Unidos". Fundada em 1918, foi alçada à fama com o maestro George Szell, de quem sua imagem é indissociável. Ele a regeu de 1946 a 1970, fazendo inúmeras gravações importantes.


Sucederam-no Lorin Maazel (1972–1982), Christoph von Dohnányi (1984–2002) e Franz Welser-Möst (desde 2002). Sua sala de concertos é o Severance Hall.


Gravações recomendadas -


- Ludwig van Beethoven - Os 5 Concertos para Piano, regidos por George Szell, com Leon Fleisher ao piano;


- Béla Bartók e Witold Lutosławski - Concertos para Orquestra, regidos por Christoph von Dohnányi.


- Antonín Dvořák - Sinfonias Nº 6, Nº 7, Nº 8 e Nº 9 "Do Novo Mundo", regidas por Christoph von Dohnányi.

 

01. Orquestra Sinfônica de Chicago



É quase empatado com a de Cleveland. Um tiquinho de nada de poder sonoro. Fundada em 1891, a Sinfônica de Chicago é uma orquestra modelo. É famosa sua sessão de metais. Grandes regentes já passaram por ela, como Rafael Kubelík (1950-1953), Fritz Reiner (1953-1962), Jean Martinon (1963-1968), Sir George Solti (1969-1991), Daniel Barenboim (1991-2006), Bernard Haitink (2006-2010) e Riccardo Muti, que permanece desde 2010 até hoje.


Sua sala de concertos é o Orchestral Hall.


Gravações recomendadas -


- Hector Berlioz - Sinfonia Fantástica, regida por George Solti;


- Anton Bruckner - Sinfonia Nº 9, regida por Riccardo Muti.


 

Como sempre, sinta-se encorajado a comentar, sugerir, criticar, elogiar, desabafar ou, simplesmente, trocar uma ideia.


Uma opção para o dilema de tocar ou não Música Russa nos concertos hoje em dia.



Aqui, 10 Livros Sobre Música Clássica


Perfil da pianista portuguesa Maria João Pires, postagem da nossa correspondente prodígio lusa Mariana Rosas, do Blog Pianíssimo (www.pianissimo.ovar.info)


Veja também:



E veja nossas famosas listas:



Música Popular Brasileira:



E análises de obras



Papo de Arara (Entrevistas)


2.546 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo

コメント


bottom of page