• Leandro Krindges

o último beijo


Pearl Jam

O engajamento político e humanitário de algumas das maiores bandas do mundo não é novidade. Podemos citar, por exemplo, Rage Against The Machine, U2 e Serj Tankian. No ano de 1999, foi lançado o álbum Sem Fronteiras, em benefício aos refugiados da Guerra do Kosovo, um dos conflitos ocorridos durante o processo de dissolução da antiga Iugoslávia. Dentre os artistas que participaram da iniciativa estavam Alanis Morissette, Oasis, Jamiroquai, Neil Young e... Pearl Jam. E é uma canção, presente neste álbum, interpretada por Eddie Vedder e companhia que será o nosso assunto nas linhas que seguem. Estamos falando de Last Kiss.


A versão de Pearl Jam para essa obra foi uma das músicas mais tocadas nas rádios no final dos anos 90. Ela conta a história de um acidente de carro que era conduzido por um rapaz, acompanhado de sua namorada. Mas tenho duas coisas para lhes dizer: a versão do Pearl Jam não é a original, e a música é baseada em um fato real!


A composição de Last Kiss e sua primeira gravação foram realizadas por Wayne Cochran em 1961, no formato de single. Wayne era morador da região rural de Barnesville, Georgia, Estados Unidos, em um local que fica a cerca de 15 milhas do local do acidente. A Auto Estrada 341 era conhecida pela grande quantidade de acidentes. Àquela época, Wayne estava trabalhando na composição de uma canção sobre os acidentes que aconteciam naquela estrada.



Wayne Cochran

Foi então que em 22 de dezembro de 1962, um Chevrolet Impala 1954 ocupado por 4 adolescentes (J. L. Hanckock, o motorista, Jeanette Clarck, sua namorada que estava no banco do carona, Jewel Emerson e Ed Shockley, que estavam no banco traseiro), colidiu com um caminhão parado na estrada, o qual não conseguiram visualizar a tempo de parar, devido ao nevoeiro que havia naquela região. O motorista e sua namorada morreram na hora. Os passageiros do banco traseiro sobreviveram, mas com ferimentos graves. Wayne, ao saber do acontecido, usou como base seus sentimentos a respeito para terminar a composição de Last Kiss, livre inspirando-se no acontecido e, após, dedicando a canção a Jeanette. Uma segunda versão foi lançada por J. Frank Wilson and The Cavallier em 1964, antes da consagrada pelo Pearl Jam.


Um fato bizarro foi que o pai de Jeanette, frentista de um posto próximo ao local do acidente, foi uma das pessoas a ajudar a socorrer as vitimas do acidente, não reconheceu que uma delas era sua própria filha.


Ouça abaixo as versões citadas.


Versão J. Frank Wilson


Versão Wayne Cochran


Versão Pearl Jam


Então, gostou do texto? Gosta de curiosidades da música? Publicamos algumas já aqui como essa sobre o coração de Chopin e esta sobre uma estranha capa do The Doors...


Se você curte rock e explorar novos territórios, temos algumas outras sugestões também, como este artigo sobre a história do rock na Rússia, a nossa lista regressiva das melhores faixas de rock década a década que começa na década de 2010 bem aqui, e também uma matéria sobre um ícone do rock e da música brasileira: Pepeu Gomes.




Leandro Krindges

Técnico Químico de profissão, licenciado em Biologia por paixão, fã de Foo Fighters à Belchior e de tirinhas, especialmente Peanuts. Sempre teve curiosidade em saber o que se passava por trás das músicas, e essa busca se tornou um hobby. Tecladista da Banda Villa Rock, arranha também um violão e guitarra. Aprendeu a gostar de ler depois do Kindle.

0 comentário