• Rafael Torres

Argonautas - Choro Dela (para a Beatriz, com todo o amor)

Quando a minha filha Beatriz foi completar 1 aninho, em 2011, eu fiz essa música. Nós fizemos um CDzinho e distribuímos como lembrancinha no aniversário. Gosto muito dela (da música e, obviamente da minha filha). Quando fomos fazer o disco Jangada Azul, em 2017, eu quis regravá-la.


É uma música buarqueana, nas suas características. A insistência nas rimas - adoro rimas - a harmonia meio estranha e o fato de ser um choro. A Bia era muito parecida comigo quando bebê, por isso falo que ela me roubou o semblante.


A gravação aí em baixo não é a do aniversário, mas a do Jangada Azul.

Choro Dela

(Rafael Torres)


Eu tenho a impressão

De me roubar todo o semblante algum ladrão

Roubar-me o fôlego e a fala, a direção

E ainda uma costela

Eu tenho a solução

Pro solucinho que me estanca o coração

Sei que o antídoto é alguma distração

E eu me distraio nela

Eu tenho algum refrão

Pra cada caso, pra qualquer situação

Pesquei por todo o cancioneiro da nação

Eu sempre tenho uma receita, uma poção

Pra cada choro, cada dor, cada aflição

Pra febre, inchaço, mal, quebranto, irritação

Eu fiz pós-graduação

Em qualquer coisa que tivesse precisão

Como a logística da manipulação

De fraldas, lenços, talco, água e algodão

Eu nunca tive a mais básica noção

De cada pano ter um nome e uma função

Vi na televisão

Que pra você estava tudo em promoção

Que pra você todos abriam exceção

Que todos olham sempre em sua direção

E lançam piscadelas

E quando outro ladrão

Vem te roubar algum segundo de atenção

Com beijos, truques, macaquices, tudo em vão

Você é quem decide se sorri ou não

Se vai ou não dar trela

A mãe, só que banguela


Rafael Torres: violão, flauta, voz e arranjo

Ayrton Pessoa: piano

Ednar Pinho: baixo acústico

Igor Ribeiro: pandeiro



0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo