• Rafael Torres

Argonautas Interpretam Edu Lobo



Nosso terceiro disco, quisemos fazer sobre Edu Lobo. Só músicas dele. Eu queria gravar umas 30, mas claro que ficava muito grande. E, mesmo com as 16 finais, ele ficou grande, ainda. Você pode encontrar o disco todo aqui.

  1. Jogo 3 (Edu Lobo) - essa ele fez para o balé "Jogos de Dança", em que todas as peças são instrumentais. São 6 Jogos, e o terceiro é o que chama mais atenção, porque sobre ele foi colocada uma letra (de Chico Buarque) e seu nome mudou para "Meu Namorado". Mas fizemos a instrumental, mesmo.

  2. Choro Bandido (Edu Lobo e Chico Buarque) - é a minha favorita ao lado da "Valsa Brasileira". Eu canto e faço violão.

  3. Pra Dizer Adeus (Edu Lobo e Torquato Neto) - uma canção de adeus que, depois que o letrista cometeu suicídio, anos depois, adquiriu um sentido muito diferente. É a única faixa do disco em que tem guitarra.

  4. A Permuta dos Santos (Edu Lobo e Chico Buarque) - luxuosamente cantada pela Mônica Salmaso.

  5. Canção do Amanhecer (Edu Lobo e Vinícius de Moraes) - canto essa, com um arranjo simples, mas que me agrada.

  6. Meia-Noite (Edu Lobo e Chico Buarque) - quem canta é o Edu. Fui até o Rio gravar a voz dele. Podia ter gravado remotamente? Podia, mas eu não ia perder a oportunidade de trabalhar com o ídolo.

  7. Beatriz (Edu Lobo e Chico Buarque) - tem a participação do meu irmão, Leonardo Torres, ao piano. Imagino que as pessoas estranhem ela ser cantada tão quadradinha, mas essa foi a ideia. A tendência de todo cantor é de, não só fazer rubatos, mas os rubatos do Milton. Fiz mais ou menos como está no Songbook.

  8. Forrobodó (Edu Lobo e Chico Buarque) - essa música simpática, eles fizeram para o filme "O Xangô de Baker Street", de 2001. Não é conhecida, e nenhum dos dois gravou, até onde eu sei.

  9. Sobre Todas as Coisas (Edu Lobo e Chico Buarque) - essa, que tem na versão de Gilberto Gil a gravação perfeita, gravamos com Renato Braz. Ele cantou lindamente.

  10. Valsa Brasileira (Edu Lobo e Chico Buarque) - junto a Choro Bandido, a minha favorita. O arranjo é meio baldio, ermo, com clarinete, piano, baixo e voz. Ficou do jeito que eu queria.

  11. A Moça do Sonho (Edu Lobo e Chico Buarque) - Edu e Chico fizeram para a peça Cambaio, em 2001. No disco Cambaio quem canta é o Edu, num arranjo luxuoso, com cordas, flugel e banda. Já o Chico gravou só voz, violão e violoncelo. Aí eu fiz essa versão com violão e voz, mas cantando na métrica do Edu Lobo (Chico mexeu na métrica toda).

  12. O Circo Místico (Edu Lobo e Chico Buarque) - o Bob (Ayrton Pessoa) cantou e tocou piano e acordeon nessa daqui. Super delicado.

  13. Ave Rara (Edu Lobo e Aldir Blanc) - pra essa nós fizemos um arranjo de samba, mas é o samba mais sério que eu já ouvi. Canta o Marco Forte, um querido amigo cearense radicado no Rio.

  14. No Cordão da Saideira (Edu Lobo) - essa é a única com letra do próprio Edu. É linda, e eu sempre quis gravar.

  15. Opereta de Casamento (Edu Lobo e Chico Buarque) - pouca gente grava essa música genial. Não sei bem por quê.

  16. Corrupião/Ode aos Ratos (Edu Lobo / Edu Lobo e Chico Buarque) - pra encerrar, chamamos o flautista Heriberto Porto, que gravou na transversa normal e na baixo.

O disco contou ainda com a participação inestimável de Luiz Orsano, o engenheiro de som, que é um baita baterista e percussionista. Acontece que bem na fase final do disco, o baterista e percussionista dos Argonautas, Igor Ribeiro, teve que viajar e passou uns 2 meses fora.



0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo