• Rafael Torres

A Violinista Encantada - Ginette Neveu

Nascida em Paris, em 11 de agosto de 1919, Ginette Neveu revelou-se musical na primeira infância. Aos 5 tocou seu violino em público pela primeira vez, mas foi aos 7 que se deu sua estréia oficial: tocou o dificílimo concerto de Max Bruch na Salle Gaveaux, em Paris. Aos 9 ela se graduou no Conservatório de Paris com destaque. Aos 12 o professor Carl Flesch a ouviu num concurso e se ofereceu para dar aulas de graça.

A violinista francesa Ginette Neveu

Aos 15 anos Ginette fez o impossível. Ganhou o Concurso Wieniawsky, em Varsóvia, que teve no segundo lugar ninguém menos que David Oistrakh, 27. E a ainda pequenininha Ida Haendel (aos 5), que ganhou uma medalha e tirou lugar. Esse feito impressiona e assombra o mundo, porque Oistrakh viria a se tornar um dos (sei lá) cinco maiores violinistas de meados do século XX.


Ginette teve uma carreira curta impecável, seu pianista era seu irmão, Jean-Paul Neveu. E além do repertório de violino e piano, ela excursionava com o repertório de violino e orquestra.


Em 28 de outubro de 1949, ia com seu irmão de Paris a Nova Iorque quando o avião bateu numa montanha nos Açores, não deixando sobreviventes. Ela tinha 30 anos. Foram 48 vítimas.

A sorte é que nos deixou gravações. Eu pessoalmente acho seu som cósmico, foram poucos os violinistas que me surpreenderam como ela. Ela tinha uma sonoridade límpida, clara. Sua técnica era evoluída. Ela fazia as passagens mais difíceis soarem fáceis, como se estivesse 50 anos à frente. Tocando Sibelius, revela-se sua mais óbvia façanha: era uma pintora, fazendo a gente ver as cores e até sentir o frio. No segundo movimento do Concerto para Violino de Beethoven, parece uma voz suave, mas que cala a todos quando fala. Às vezes, uma nota que antes era só uma nota, vira um momento revelador.


Você tem que ter a experiência de, ao menos uma vez na vida, escutar Ginette Neveu.


Gravações importantes


- Johannes Brahms - Concerto para Violino, com a Orquestra Philharmonia, regida por Issay Dobrowen


- Jean Sibelius - Concerto para Violino, com a Orquestra Philharmonia, dirigida por Walter Susskind


- Claude Debussy - Sonata para Violino e Piano, com Jean-Paul Neveu


- Richard Strauss - Sonata para Violino e Piano, com Gustaf Beck


- Ludwig van Beethoven - Concerto para Violino, com a Orquestra SWR, de Stuttgart, regida por Hans Rosbaud (uma gravação ao vivo resgatada do último ano de sua vida - contém uma outra gravação maravilhosa, também ao vivo, do Concerto de Brahms, com a Filarmônica da Haia, regida por Antal Doráti)


Abaixo, um trecho do Poème de Ernest Chausson. Observe o carisma, a entonação (afinação) com que ela toca os trinados e a intensidade do seu olhar e do seu toque.


0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo